Vale a pena instalar um Sistema de Energia Solar para Condomínio?


Será que é possível instalar um sistema de energia solar para condomínio? Essa é a dúvida de muitos contribuintes que não aguentam mais pagar valores absurdos nas contas de luz mensais. A notícia boa é: você pode tornar seu condomínio sustentável e economizar.


Desde 1º de março de 2016, a partir da Resolução Normativa ANEEL 687/2015, todos os empreendimentos com diversas unidades consumidoras, como os condomínios, passaram a ter o apoio da agência nacional, para geração de sua própria energia. A partir daí, se tornou praticável instalar placas solares para diminuir consideravelmente os gastos do fim do mês.


Neste artigo, vamos apresentar como o sistema fotovoltaico funciona em um condomínio e quais são as vantagens de investir nessa tecnologia. Acompanhe!


Como um Sistema Fotovoltaico produz energia solar?


As placas solares são constituídas por células feitas com materiais semicondutores, como silício. No momento que a luz solar, composta por partículas chamadas fótons, se encontra com os átomos das células fotovoltaicas, os elétrons começam a se mover e a produzir energia. Esse processo é conhecido como efeito fotovoltaico.


O sistema ainda conta com inversor solar conectado as placas. Ele é o responsável por converter a corrente contínua (CC) em corrente alternada (CA). Depois dessa conversão, a eletricidade pode ser usada para alimentar qualquer equipamento.

Em áreas urbanas o indicado é investir em um sistema on-grid, também chamado de grid-tie. Nessa categoria, o inversor solar sincroniza o excedente de energia solar gerada para o sistema de rede pública.


Pode faltar energia em dias nublados e chuvosos?


O sistema fotovoltaico continua funcionando independente do clima. Isso acontece, porque o sistema fotovoltaico não precisa do calor do sol, mas, sim, da luminosidade que vem da irradiação.


O inversor fotovoltaico é ligado à concessionária. Portanto, o excedente da produção pode ser convertido em “créditos de energia”, que podem ser usados em dias nublados e chuvosos ou à noite — quando a produção é mais baixa.


O benefício de ter um sistema ligado à rede elétrica é: que se a energia solar gerada não for suficiente para sustentar o consumo, a distribuidora local vai compensar o que falta. Depois os contribuintes devem pagar o que usaram. O lado bom é que não há risco do condomínio ficar eletricidade.


Como a energia solar pode ser distribuída em um condomínio?


Existem duas maneiras de distribuir a energia solar para condomínio, são elas: geração compartilhada dedicada às áreas comuns do condomínio e geração para atendimento de múltiplas unidades consumidoras. Vamos ver como funcionam as duas opções!


Geração para às áreas comuns do condomínio


Os gastos com espaços comuns, como piscina, quadra, campo de futebol, playground, portaria, salão de festas, sala de jogos, sauna e academia, são divididos igualmente entre os moradores todo mês. A conta de luz, geralmente, é o maior custo dessas áreas. Quando o condomínio opta por gerar sua própria energia o valor da eletricidade é reduzido consideravelmente.


Aqueles que desejam um sistema de energia solar compartilhada devem levar a proposta para assembleia. Caso os moradores aprovem a instalação do sistema fotovoltaico para condomínio, o próximo passo será conseguir a concessão por meio da distribuidora ou consórcio.


Geração para múltiplas unidades consumidoras


Esse sistema é o responsável por distribuir a energia solar para os condôminos de forma individualizada. Assim, cada morador pode receber eletricidade na sua residência de maneira igualitária ou de acordo com o consumo médio, vai depender do que ficar decidido em assembleia.


Vale ressaltar que, mesmo que os imóveis possam distribuir a energia de forma independente, as casas ou apartamentos, precisam estar localizados no mesmo local ou próximo uns dos outros.


Como deve ser instalado um Sistema Fotovoltaico em um condomínio?


Para que o sistema funcione da melhor maneira no condomínio, o indicado é que as placas solares sejam instaladas no telhado do edifício. Como foi citado anteriormente o sistema on-grid é uma boa opção, pois essa categoria aproveita mais a energia produzida, ou seja, é mais eficiente do que a off-grid.


De acordo com as novas regras da ANEEL, também é possível instalar placas solares em outros terrenos. Mas, como isso funciona? Antes se o local não tivesse uma boa produção, não era indicado fazer a instalação do sistema fotovoltaico. Atualmente, o contribuinte pode colocar os painéis solares em outro espaço e gerar energia para ser usada na sua residência. Porém, isso só é possível se tanto o terreno, quanto o imóvel, estiver registrado no nome do mesmo titular.


Quais são as vantagens de um Sistema Fotovoltaico?


O Brasil levou muito tempo para perceber o seu potencial. No ano passado, com o aumento de investimentos, o país conquistou a marca histórica de 1,1 Gigawatts (GW) de potência instalada em tecnologia fotovoltaica. Foi assim, que o Brasil passou a fazer parte do Clube Gigawatt. Atualmente, ele está entre as 30 maiores potência em geração de energia solar.


Diante dos dados, é possível observar que o mercado de fontes alternativas está favorável para investimento. Por isso, a instalação de um sistema fotovoltaico pode trazer uma série de benefícios para seu condomínio. Vamos conferir?


Economia


Já pensou como seria poder usar o ar-condicionado, aquecedor na piscina e elevador, pagando só a tarifa mínima de consumo? É isso que acontece quando um condomínio produz sua própria energia. O sistema fotovoltaico pode reduzir até 95% do valor das contas de luz. Somente as taxas obrigatórias da ANEEL deverão ser pagas.


Retorno do investimento


Instalar um sistema fotovoltaico é um investimento de longo prazo, pois o custo inicial é muito alto. Porém, todo dinheiro investido retorna para o bolso do consumidor entre 4 e 10 anos.


Por exemplo: um condomínio paga cerca de R$ 5.000 de conta de luz todo mês, o gasto anual será de R$ 60.000. Caso os moradores invistam no sistema fotovoltaico, o valor passa ser de apenas R$ 250. Supondo que o projeto custe R$ 300.000, você vai precisar de 5 anos para ter seu dinheiro volta (payback). Como a vida útil das placas solares pode chegar até 30 anos e a manutenção dos equipamentos é mínima, os condôminos ainda terão mais de duas décadas para aproveitar o desconto.


Valorização do Imóvel


No mercado imobiliário pesquisas apontam que, muitas pessoas têm procurado investir em imóveis que sejam considerados sustentáveis. No caso do sistema fotovoltaico, ele pode valorizar cerca de 30% sobre o preço da venda ou do aluguel de um imóvel. Portanto, a instalação de um projeto de geração de energia solar vai valorizar seu imóvel.


Sustentabilidade


O sol é considerado a matriz energética do futuro. A fonte alternativa é limpa, pois não emite gases poluentes na sua produção e não causa impactos ao meio ambiente. Além disso, a energia proveniente do sol é inesgotável. Sem dúvidas, é maneira sustentável de se obter eletricidade.

61 visualizações

© 2017 por EIFER ASSESSORIA EIRELI

CRC SC-010324/O